Dia da saudade, que foi dia 30.

Esse post era pra ter sido feito dia 30/01, mas como não teve como, o deixei guardadinho aqui pra quando desse tempo. Dia 30 foi dia da saudade. Aí pra esse dia, “chega de saudade”! Mas antes, como eu cheguei até ela pra postar aqui.

Um dia ótimo com minhas primas Elisa e Letícia, e com meus pais. Passeamos, tomamos o “yogo” lá do alameda, andamos a toa na americanas e rimos de muitas, muitas coisas. Viemos pra casa… noite de panquecas!! Estavam muito, muito boas!! A massa que a minha mãe faz é de uma textura maravilhosa! Depois retornamos pros computadores para Elisa e eu cantarolarmos e Letícia desenhar!

Aí uma das músicas que nós cantamos com muito primor (hauahauha) foi “chega de saudade”. Que eu mais admirei a letra do que cantei porque ela é difícil pacas!

Terei saudade desse dia, mas não de dias como esse, pois espero que eles se repitam pra sempre!

Pra completar fiquei empanzinada porque meu organismo não suporta mais uma grande quantidade de comida de uma vez só, mas passar mal… não mesmo! Fiquei super feliz!

Juro que queria postar fotos, mas não fotografamos nada esse dia! E eu ainda falei: podia ter tirado umas fotos pro blog. Mas como eu ainda não me acostumei com essa idéia e foi tudo acontecendo sem muitos planos, espero que vocês (que tiveram a paciência de ler tudo, tudo mesmo) tenham sentido um pouco da alegria desse dia!

Chega de saudade – Tom e Vinícius

“Vai minha tristeza
E diz a ela que sem ela não pode ser
Diz-lhe numa prece
Que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer

Chega de saudade
A realidade é que sem ela
Não há paz não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim
Não sai de mim
Não sai

Mas, se ela voltar
Se ela voltar que coisa linda!
Que coisa louca!
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos
Que eu darei na sua boca

Dentro dos meus braços, os abraços
Hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim,
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim

Que é pra acabar com esse negócio
De você viver sem mim
Não quero mais esse negócio
De você longe de mim
Vamos deixar esse negócio
De você viver sem mim.”

Anúncios